• Home
  • Notícias
  • Negócios
  • Argentina restringe importação e impacta indústria calçadista brasileira

Argentina restringe importação e impacta indústria calçadista brasileira

By Marta De Divitiis

4 de jul. de 2022

Negócios

Frank Mckenna/Unsplash

Dia 27 de junho o Banco Central da República da Argentina mudou as condições de acesso para pagamento de importações, de acordo com informe da Abicalçados - Associação Brasileira das Indústrias de Calçados. Segundo o release a medida limita temporariamente as importações para conter a saída de divisas, mantendo o nível de reservas internacionais. Assim, até dia 30 de setembro de 2022 os pagamentos dos produtos importados só serão liberados após 180 dias.

Haroldo Ferreira, presidente-executivo da Abicalçados, avisa que esta medida dificultará as operações de exportação de algumas empresas para o mercado. “Considerando que o pagamento ocorrerá seis meses após a chegada da mercadoria no destino, alguns negócios serão prejudicados e outros inviabilizados”, avalia no release de divulgação.

A Argentina é o segundo destino dos calçados brasileiros no exterior, atrás apenas dos EUA e a notícia chega num momento em que o segmento calçadista se encontra em franca recuperação. Dados da entidade mostram que entre janeiro de maio de 2022 o Brasil exportou 64,24 milhões de pares, gerando aproximadamente 540 milhões de dólares (30, 3 por cento mais em volume e aumento de 66,5 por cento em receita em relação ao mesmo período de 2021). Neste período a Argentina importou 6,82 milhões de pares de calçados brasileiros, o que gerou 74,62 milhões de dólares.

Abicalçados
Argentina
Calçados
EUA
exportacão
Haroldo Ferreira