Negócios

Empresa têxtil baiana zera emissão de carbono na atmosfera

Essa semana o Reino Unido aprovou lei que pretende eliminar todos os gases poluentes da atmosfera até 2050. Embora aqui no Brasil pouco tem sido feito pelo governo atual em relação ao meio ambiente, algumas iniciativas privadas têm tido bastante sucesso. É o caso da Polo Salvador, empresa sediada na capital baiana, confeccionista de camisas estilo Polo. Gerida por Hari Hartmann, geólogo especialista em produção limpa, conseguiu zerar a emissão de Carbono na atmosfera.

“Nossa intenção é poder contribuir com a desaceleração do aquecimento global e também sensibilizar a sociedade mostrando que é possível crescer e gerar empregos, mesmo numa pequena empresa, produzindo com Carbono Zero,” explica Hartmann. Segundo ele a direção da fábrica optou por transferir os créditos de Carbono originados que teria direito em um valor de produto agregado, nascendo assim a ideia de uma camisa que leva os créditos de carbono intrinsecamente.

Créditos de Carbono ou Redução Certificada de Emissões (RCE) são certificados emitidos para uma pessoa ou empresa que reduziu a sua emissão de gases de efeito estufa (GEE). Por convenção uma tonelada de dióxido de carbono (CO2) corresponde a um crédito de carbono.

Após estudos que duraram seis meses e levaram em consideração desde a aquisição de materiais e pré-processamento (produção agrícola, fiação e tecelagem) até o fim de vida da peça (deslocamento e emissões do aterro sanitário), passando pela produção, distribuição e uso das camisas, a pegada de Carbono da camisa de algodão foi mensurada, para que se fizesse a compensação adequada, baseada na redução do consumo energético. Para tanto a The Planet, uma empresa de consultoria em desenvolvimento sustentável, foi a idealizadora de todo o projeto.

Polo Salvador dá lição de sustentabilidade

“A Polo Salvador tornou-se autossuficiente na geração de energia elétrica a partir de sistemas fotovoltaicos,” diz o diretor. “Além disso reaproveitamos a água utilizada na produção para uso em sanitários, limpeza e na manutenção de jardim. A água captada da chuva também é utilizada e descargas de dois volumes e torneiras com arejadores auxiliaram a reduzir 90 por cento do consumo de água da rede pública,” explica o diretor.

A empresa produz três linhas sustentáveis: camisas confeccionadas com 100 por cento de algodão orgânico; camisas 100 por cento com material reciclado (metade de poliéster PET e metade de fios obtidos de retalhos) e outra com 50 por cento de algodão e 50 por cento de fios PET.

Implementaram também a Economia Circular, reaproveitando todos os resíduos de tecidos, que são doados a uma crehce onde são transformados em estopa. Os resíduos secos são encaminhados para reciclagem e os orgânicos transformados via compostagem em adubo para plantas. “Nosso interesse é socioambiental, não pensamos apenas em lucros,” conclui Hartmann.

Por conta do sucesso da iniciativa pioneira a confecção recebeu o selo Carbono Zero da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas em cerimônia na Abit – Associação Brasileira das Indústrias Têxteis e de Confecção, em junho e em 18 de julho irá receber a Certificação Zero Energy, da GBC – Green Building Council Brasil – na Federação das Indústrias da Bahia.

A Polo Salvador é uma empresa com sede na capital baiana, que tem 20 anos de existência, especializada em confecção de camisas polo, tanto para o meio corporativo como para o casual. Contam com uma loja de fábrica e doze por cento das vendas são realizadas via e-commerce. Com 49 funcionários, tem capacidade para produzir 2000 camisas por dia.

Fotos: cortesia Polo Salvador