• Home
  • Notícias
  • Moda
  • Comunidade online busca o fortalecimento da cadeia de moda

Moda

Comunidade online busca o fortalecimento da cadeia de moda

By Marta De Divitiis

3 de jul. de 2020

Uma comunidade online, com os mais diversos profissionais de moda, desenvolvida para incluir, educar, fortalecer e transformar a cadeia de moda no Brasil. Essa é a proposta do FashionHUB, criada por André e Luciane Robic, que trabalham com educação e moda há mais de 20 anos. Ambos são fundadores também do IBModa - Instituto Brasileiro de Moda - que oferece cursos, consultoria e pesquisas voltadas para negócios criativos. A seguir a entrevista que Robic e Luciane deram para o FashionUnited.

FashionUnited: quando surgiu a ideia do FashionHUB?

A ideia do FashionHUB surgiu há aproximadamente dois anos, a partir de nossa experiência no IBModa em diversas áreas, incluindo educação e empreendedorismo.Sentimos uma crescente insatisfação no mercado em relação aos programas disponíveis, principalmente para a evolução de profissionais da área. De uma forma geral os cursos de moda e de negócios não conversavam entre si e o mercado necessitava de mais práticas aplicadas.

As experiências que tínhamos em educação mostravam que o ambiente online trazia inúmeras novas oportunidades, inclusive com a realização de encontros presenciais após sequências online, em que os participantes pareciam até “amigos de infância”.

Outra questão foi a da acessibilidade. Pessoas de fora de grandes centros não tinham acesso a uma educação de alta qualidade, sendo que muitas delas queriam empreender na moda, porém precisavam de ferramentas para poder se lançar num mercado que se tornava cada vez mais complexo e competitivo. Assim, pensamos na fusão de cursos, mentoria e consultoria, com debates e participação ativa de todos.

Finalmente, entendemos que seria importante abrir a participação a profissionais que têm conhecimentos e vontade de compartilhá-los, mas não conseguem se inserir nos ambientes acadêmicos. Aprimorando nosso conhecimentos no mundo em rede, por meio de cursos e experiências práticas, vislumbramos a possibilidade de formar uma rede que una os profissionais do setor da moda, para que possam se desenvolver mutuamente e assim desenvolver o segmento como um todo.

Como e quando começou?

Começamos o FashionHUB há dois anos, em 2018. Entretanto, sentimos que o mercado à época não estava ainda preparado para assimilar experiências online desse nível de profundidade. Agora em 2020, com a explosão das lives e da cultura digital, sentimos que seria o grande momento para a retomada do projeto.

Como é a dinâmica do grupo?

O grupo segue a lógica de se chegar o mais perto possível do modelo de redes distribuídas, ou seja, cada nó da rede (participante) é responsável pela criação e execução de seus projetos, divididos em três áreas principais: educação, consultorias e mentorias. Os projetos são criados de preferência em colaboração entre os participantes e o FashionHUB oferece a estrutura para a formação das redes, alojamento e comunicação dos projetos, além do selo de qualidade do IBModa. Os valores recebidos são rateados entre os profissionais e o FashionHUB. Seguimos alguns princípios básicos, como as atividades serem sempre remuneradas, salvo raras exceções, como o Me Dá o Mic, atividade que ocorre duas vezes por semana, em que “o microfone” é aberto para que profissionais possam apresentar e divulgar seus projetos, receber colaboração de outros profissionais, promover causas e se relacionar.

Outro princípio que seguimos é o da acessibilidade, com quatro tarifas básicas pelos serviços, em que o FashionHUB oferece bolsas de estudo para quem não pode pagar, e uma parte das inscrições é convertida em bolsas de estudo. Estruturamos também programas de consultoria e mentoria em grupo para que as pessoas e empresas recebam serviços para desenvolver seus negócios a um preço justo.

Quem se engajou no projeto?

Reunimos uma rede de especialistas com ampla área de atuação em todo o sistema da moda, de diversos lugares do Brasil e algumas de fora também. Atualmente estamos com aproximadamente 20 pessoas no núcleo, e a estratégia é de crescimento em camadas, ou seja, primeiro sedimentar uma camada para depois agregar nova camada. Nesse momento estamos consolidando o lançamento da primeira leva de serviços, porém já realizamos mais de 20 edições do “Me Dá o Mic”, e uma consultoria em grupo.

Quais são os pilares do FashionHUB?

A experiência em rede, que é uma tendência do mundo atual, baseada no princípio da escassez e abundância. Com a abundância de conhecimentos, podemos prover a escassez de bons resultados. Com a abundância de serviços oferecidos, provemos a escassez de ofertas profissionais, e assim por diante.

Há também a questão da sustentabilidade, tecnologia, responsabilidade social e inovação. Esses são os pilares que compõem as trilhas de conhecimento e atuação do FashionHUB.

Fotos: cortesia FashionHUB