• Home
  • Notícias
  • Moda
  • Dia das Mães cria expectativas positivas para o varejo e atacado de moda

Dia das Mães cria expectativas positivas para o varejo e atacado de moda

By Marta De Divitiis

4 de mai. de 2022

Moda

Com a proximidade do Dia das Mães, a segunda data comemorativa mais importante do ano para os varejistas de moda, as expectativas são positivas. Além da data em si, a proximidade do Inverno contribui para essa espera. Segundo dados do IEMI - Instituto de Estudos de Marketing Industrial - o mês de maio, nos últimos 15 anos, registra um crescimento de vendas de 24 por cento em relação ao mês de abril, que conta com uma demanda mais fraca. Nos meses normais e médios do ano, as vendas de maio superam em 15 por cento a mais, em volume de peças. “O Dia das Mães para a indústria do vestuário é muito importante, sendo historicamente superado somente pelos meses de novembro e em dezembro”, diz Fernando Pimentel, presidente da Abit - Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, em áudio para o FashionUnited.

Pimentel explica que o que se espera este ano é uma queda de aproximadamente 1 por cento em relação à quantidade de peças que serão comercializadas, quando comparadas com as vendas do ano passado. “Em termos de valores estamos estimando uma subida de 10 por cento, em função da evolução dos preços devido à inflação”, diz. Junto com o IEMI a Abit calcula que o preço médio das peças será de 48,50 reais, enquanto no mês passado foi de 36,86 reais.

Temperaturas baixas tendem a aquecer vendas de Inverno

Para Edmundo Lima, diretor executivo da Abvtex - Associação Brasileira do Varejo Têxtil - há uma demanda reprimida para a renovação de algumas peças, especialmente as de inverno. “O Dia das Mães antecede os dias mais frios da estação, o que incentiva as vendas de itens como jaquetas, casacos, calças, botas e acessórios”, justifica. Segundo o executivo, as baixas temperaturas mantém as vendas aquecidas dos artigos de frio.

Haroldo Ferreira, presidente-executivo da Abicalçados - Associação Brasileira das Indústrias de Calçados, revela que para o Dia das Mães, a expectativa é positiva. Segundo Ferreira, o que se espera é um incremento maior do que o registrado na média de 2022. "Dados da Inteligência Comercial da Abicalçados apontam para um crescimento de 8 a 10 por cento nas vendas de calçados em relação ao mesmo período do ano passado”, diz em comunicado.

Atacadistas comemoram aumento de clientes

O mesmo ocorre entre os atacadistas de moda, como por exemplo a AER 44 - Associação Empresarial da Região da Rua 44 em Goiânia (GO). Segundo estimativas da diretoria da entidade, nestes primeiros quatro meses de 2022, o polo de distribuição de moda, segundo maior do País, tem recebido uma média de 300 mil turistas de compras semanalmente, e para esta semana, a expectativa é de um acréscimo de 25 por cento no fluxo de pessoas que passarão pelo local, ou seja cerca de 380 mil compradores.

Na avaliação dos diretores da AER44, além do apelo do Dia das Mães, outro fator que deve motivar as pessoas a irem à Região da 44 é que, ao longo de dois anos de restrições para a realização de eventos públicos e sociais, como shows, feiras, casamentos, batizados e aniversários, muita gente adiou a compra de roupas. Mas agora, com a retomada da normalidade, muitos voltam a investir na renovação do guarda-roupa.

E-commerce se preparou

Pesquisa realizada pela Social Miner, All Ind e Opinion Box, de tecnologia, inteligência de mercado e experiência do consumidor, revela que 76 por cento dos entrevistados pretendem presentear comprando algo para a data. Destes, 67 por cento pesquisam buscando promoções e bons preços, sendo que 49 por cento buscam tanto lojas físicas como online. 52 por cento têm a intenção de comprar roupas e acessórios. Já a Behup, também de tecnologia e que usa a Inteligência Artificial para compreender comportamentos, desenvolveu pesquisa e apontou que a procura por vestuário está entre os objetos mais desejados para quem busca presentear na data, corroborando a porcentagem citada acima.

Como o consumo via e-commerce sofreu aumento significativo após a pandemia de Covid -19 , as empresas investem em logística para atender a demanda. Além disso, estão atentas a tendências de mercado como o Social Commerce, que por meio das mídias sociais e influenciadores oferecem engajamento às marcas e, consequentemente, mais vendas.

Fotos: Sai De Dilva/Unsplash, Angela Bailey/Unsplash e Sergey Zolkin/UNsplash