• Home
  • Notícias
  • Moda
  • Mercado de luxo cresce 93 por cento na pandemia

Moda

Mercado de luxo cresce 93 por cento na pandemia

By Marta De Divitiis

17 de nov. de 2020

A pandemia teve um grande impacto sobre o mercado, em todos os sentidos. O isolamento social inicial fez com que mais consumidores passassem a realizar compras de forma digital. Camila Dulnan, diretora de atendimento B2C Luxury Unit da Infracommerce, companhia focada em negócios digitais que atua na transformação digital das empresas, explica que o consumidor passou a ter um perfil de compra mais imediatista e mais adepto à compra em um “clique”. A executiva falou com exclusividade ao FashionUnited sobre o crescimento do mercado de luxo, as mudanças de comportamento do consumidor e as expectativas em relação à Black Friday - que esse ano será dia 27 de novembro.

FashionUnited: quanto o mercado de luxo cresceu durante a pandemia?

Na Infracommerce, que trabalha com marcas como a Dior, Dailus, Oakley e Montblanc entre outras, o mercado de luxo apresentou crescimento de 93 por cento quando comparado os seis meses antes e os seis meses depois do início da pandemia. O crescimento não é específico de um produto, é do mercado de luxo como um todo. Só no Brasil, este mercado movimentou 26 bilhões de reais em 2018, segundo um estudo sobre luxo feito pela Consultoria Euromonitor International. O levantamento prevê que, até 2023, o valor crescerá para 29 bilhões de reais, sendo que o potencial do canal on-line desse segmento pode chegar a 30 por cento do mercado até 2025.

Quais as categorias que serão mais procuradas durante a Black Friday?

Apesar da Infracommerce não divulgar dados de venda, segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, roupas e acessórios lideram a lista de produtos que serão mais procurados na Black Friday de 2020, com 31 por cento das buscas. Smartphones, eletrônicos e calçados aparecem logo atrás.

O aumento de vendas nesse tipo de mercado está ligado à mudança de comportamento do público?

Sim, tudo o que vivemos nos últimos meses mudou não apenas as empresas, mas também os hábitos de consumo do cliente final. De acordo com uma pesquisa da Nielsen - empresa global de informação e dados - 13 por cento dos brasileiros fizeram sua primeira compra online em 2020.

O cliente é hoje multicanal, ágil e exigente; busca praticidade e conexão entre todos os pontos de vendas. Ele quer fazer contato com as lojas por meio de todos os canais existentes, seja ele no site, nas redes sociais, no celular ou na loja física. E mais, quer integração entre eles.

Há expectativa de aumento de vendas na Black Friday? De quanto em volume de vendas?

A Infracommerce prevê um aumento de 50% nas vendas da Black Friday. Podemos esperar uma das maiores datas da história, que vai marcar o começo de uma corrida pelo consumidor.

A Black Friday vai ser só o primeiro degrau na escalada das compras on-line. Essa tendência deve ser mantida no cenário pós-pandemia. É a hora das marcas varejistas não perderem a oportunidade de dialogar com os novos consumidores recém-chegados e conquistá-los. Assim como as empresas esperam mais e novos consumidores, os clientes esperam das marcas uma experiência melhor do que nunca.

Como fidelizar o consumidor de luxo no e-commerce?

Para proporcionar uma entrega de produtos de luxo de qualidade, é importante ter uma área especializada, dispondo de uma curadoria apropriada para cada produto. Ferramentas como câmara de estoque segura com acesso digital, envelopamento diferenciado, área de vendas e atendimento personalizado são outros itens que merecem atenção. Tudo isso garante que o produto chegue aos clientes da mesma forma como se comprassem presencialmente, garantindo uma experiência única.

Uma entrega diferenciada, rápida e que mantenha as condições do produto de forma impecável promove ainda mais retenção de clientes, já que agilidade e qualidade estão no topo das exigências do novo consumidor.

Fotos: Gabrielle Henderson/Unsplash; cortesia Infracommerce e HJ Barraza/Unsplash