• Home
  • Notícias
  • Moda
  • Webinar discute o Varejo de Moda em 2020 e 2021

Moda

Webinar discute o Varejo de Moda em 2020 e 2021

By Marta De Divitiis

16 de fev. de 2021

Dia 11 de fevereiro o site E-commerce Brasil realizou um webinar mediado por Pedro Ivo Martins, diretor da Dito, de tecnologia B2B e com a participação de Ricardo Maciel, Gerente de Negócios Digitais da Marisol S. A., de marcas infantis e Alexandre Leal, Diretor Executivo de Operações da Studio Z, rede de lojas de calçados com autoatendimento. Ambos os executivos falaram sobre a importância dos canais digitais no ano de 2020, assim como a experiência de cada um sobre a atuação da empresa durante o ano e as perspectivas para o ano de 2021.

Martins apontou os dados negativos do segmento de moda em 2020, que teve uma queda de 22,7 por cento em relação ao ano de 2019, segundo pesquisa de comércio realizada pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Ainda de acordo com a pesquisa, em dezembro de 2020 o setor teve queda de 13 por cento em relação ao mês de novembro do mesmo ano e 9,9 por cento em relação a dezembro de 2019. “Foi um ano complicado, que exigiu das empresas sua reinvenção,”mencionou o mediador.

Omnichannel - solução para o varejo em 2020

Tanto Maciel quanto Leal destacaram a importância do omnichannel para resultados satisfatórios de vendas. Ambos falaram também sobre a necessidade de ser rápido na atuação. Maciel explicou que a empresa, na qual ele dirige o e-commerce e o setor de TI - Tecnologia da Informação - desenvolveu um App que auxiliou nas vendas tanto do e-commerce como dos vendedores das lojas. “Aceleramos o omnichannel de verdade e o trabalhamos como ferramenta para alavancar as vendas em todos os locais,”disse. Segundo o gerente houve um crescimento de 21 por cento nos pedidos e 36 por cento de crescimento do preço médio. “Conseguimos trazer clientes de loja para o e-commerce e aceleramos a digitalização dos canais,” concluiu falando que é isso que irá nortear o ano de 2021.

Já Leal explicou que assim que foi possível abrir as lojas estas tiveram um bom resultado de vendas. “Começamos o ano com um e-commerce bastante insipiente e terminamos 2020 com 54 lojas no omnichannel. Saímos com 80 mil pares de calçados de estoque no e-commerce e fomos para mais de 2 milhões de pares. Trocamos a plataforma em setembro, com grande velocidade e mais da metade dos pedidos do e-commerce saíram das lojas, “ falou. Segundo Leal, o sistema foi trocado para ficar compatível com o omnichannel. “Erramos bastante, mas aprendemos e saímos fortalecidos,”concluiu.

Aprendizados da pandemia - uso do WhatsApp nas vendas

O ano de 2020 foi um ano difícil para todos e segundo Ricardo Maciel o desafio maior foi colocar a TI a favor do negócio, entendendo as oportunidades que foram surgindo. “Quando todos estão engajados, tudo flui e dá certo,”disse. Já para Alexandre Leal o principal foi realizar mais com menos e a aproximação maior com os clientes. “Como somos uma empresa de auto-serviço passamos a ter nas lojas uma consultora mais ativa, começando as vendas via WhatsApp". Pedro ressaltou que as vendas ativas via WhatsApp, em que o varejo entra em contato com o cliente, de forma relevante e sem incomodá-lo, são importantes.

Maciel driblou dificuldades por trabalhar com franquias e os funcionários destas franquias, além das lojas próprias, todos utilizando o WhatsApp. Fizeram campanhas para colaboradores e vendedores, o App para o consumidor (com a retaguarda de vendedores para auxiliá-los) e o objetivo agora é usar inteligência para compreender a jornada do cliente, melhorando o relacionamento com ele e gerando valor.

Demanda em 2021 e necessidade de encantar pela tecnologia

Tanto Maciel quanto Leal admitiram que o cenário de moda atual passa por uma forte demanda. Maciel projeta um crescimento acima do obtido em 2019 e para tanto estão investindo em mídia, novos canais de venda e formas diferentes de se trabalhar. “Nossa equipe está bem animada, será um ano desafiador e ao mesmo tempo bom'', explicou.

Para Leal, a chave para se dar bem em 2021 é ter propostas de valor, com um estilo próprio, encantar o cliente e entender toda a sua jornada. Segundo o executivo, o digital veio para ficar, mas as lojas proporcionam o sensorial. “O comprador de loja tem que ter o feeling do cliente e não somente do que ele próprio gosta'',justificou. Um ponto importante, segundo Leal é ter todos os canais de venda integrados para não interromper o processo de compra.

Ricardo Maciel aconselha a utilizar a tecnologia, mas sempre colocando as pessoas em primeiro lugar, utilizando as ferramentas, mas olhando a base. Já Alexandre Leal dá a dica de sempre se perguntar se o que se está fazendo é relevante para o cliente.

Foto: Youtube, Austin Distel, Dimitri Karastelev e Phu Dinh/Unsplash