Varejo

E-commerce no Brasil em 2019 é tema de relatório

by Marta De Divitiis
24 de set de 2019

O Ecommerce Foundation, organização independente de promoção do comércio digital global, publicou um relatório do e-commerce no Brasil, a partir de um amplo estudo com várias empresas parcerias.

Segundo o relatório em 2019 setenta por cento da população brasileira faz uso da Internet, desses 69 por cento, via desktop. Entre os usuários, a maior parte (43,86 percentuais) estão na faixa etária dos 25 aos 54 anos; 21,89 por cento, dos zero aos 14 anos; 16,29 percentuais, dos 15 aos 24; 9,35 por cento dos 55 aos 64 e, por fim, apenas 8,61 percentuais acima de 65 anos.

No ranking de inclusão, que leva em consideração o acesso à internet, conteúdo de linguagem, acessibilidade e a qualidade da infraestrutura, o Brasil ocupa o 31o lugar num quadro de 86 países.

A expectativa do volume de negócios proporcionado pelo e-commerce B2C é de aproximadamente 21 bilhões de dólares, contra os 19,1 bilhões alcançados em 2018. Aproximadamente 50,6 por cento da população fará compras online até o fim do ano, com um gasto médio de cerca de 277 dólares (em 2018 a quantia foi de 265 dólares).

Sudeste concentra maior número de compradores

Na distribuição dos clientes de compras online o Sudeste sai na frente com 63 por cento dos compradores. A seguir vem o Sul, com 16 por cento; Noroeste com 10 percentuais, o Centro-Oeste com 6 por cento e, por fim a região Norte representando 2 por cento. Em 2018 52,3 percentuais dos compradores eram mulheres e 47,7 por cento homens.

A parcela da população que se encontra entre os 35 e 49 anos representam 37 por cento dos clientes online, seguidos de 29 por cento de pessoas com mais de 50 anos. 24 percentuais se encontram na faixa dos 25 aos 34 anos enquanto 9 por cento até os 24 anos. Em 2018 a categoria de Moda e Acessórios representou 5,6 por cento das compras.

Compras via smartphone tendem ao crescimento

Em 2018 as compras via e-commerce realizadas por meio de smartphone, tiveram a venda de roupas predominantes representando 51 por cento. A expectativa é que as vendas via smartphone se tornem cada vez mais frequentes, embora o desktop ainda predomine.

Em março de 2019 a rede de varejo mais visitada foi a B2W Digital (criada em 2006, resultado da fusão entre Submarino, Shoptime e Americanas, sendo que essa última controla 60 por cento das ações sociais.) Tiveram nesse mês 78,7 milhões de visitantes. A seguir veio o Mercado Livre, com 69,6 milhões de visitas e AliBaba Group com 31,8 milhões de visitas.

Black Friday impulsiona vendas

Comparada com 2017, 2018 teve um crescimento de vendas online de 23 percentuais durante a Black Friday com vendas aproximadas de 671 milhões de dólares. Quando perguntados, 48,8 por cento dos entrevistados disseram planejar realizar compras na Black Friday em e-commerces. 41,8 por cento prevêem pesquisar online e comprar em lojas físicas enquanto apenas 9,2 percentuais pensam em pesquisar e comprar em lojas físicas.

Fotos: Austin Distel; Mein Deal e Fabian Albert/Unsplash