• Home
  • Notícias
  • Varejo
  • Twitter aponta roupas e acessórios como itens de mais interesse na Black Friday

Twitter aponta roupas e acessórios como itens de mais interesse na Black Friday

By Marta De Divitiis

26 de nov. de 2020

Varejo

De acordo com a CNC - Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo - a Black Friday deste ano deverá movimentar aproximadamente 3,74 bilhões de reais, 6 por cento a mais do que foi faturado em 2019, alcançando o maior valor desde que a data foi adotada no calendário do varejo no Brasil. O aumento se deve em parte pelo crescimento do comércio eletrônico devido à pandemia do coronavírus.

No Twitter, rede social de notícias, o Brasil está sendo o segundo país, atrás somente dos EUA, a conversar sobre a data. Segundo um levantamento realizado pela plataforma (Twitter Marketing Insights & Analytics/Twitter Insight Survey), houve um aumento de 130 por cento ao ano de conversas a respeito do assunto. Em 2019 foram mais de 2,6 milhões de Tweets sobre o tema sendo que 89 por cento deles foram positivos ou neutros.

Itens de vestuário, incluindo acessórios é a categoria que desperta o maior interesse dos consumidores, segundo o release de divulgação, respondendo por 60 por cento das menções. A seguir vem celulares, computadores, livros e videogames.

Compras online predominam na data

No Brasil já há dez anos, a Black Friday ganha relevância cada vez maior, especialmente no comércio eletrônico. Além de preços reduzidos, com descontos atraentes, fretes gratuitos captam o consumidor, segundo o levantamento realizado. Outra opção que chama a atenção dos consumidores (17 por cento mencionaram o fato) são as parcerias com apps de cashback (onde uma parcela do valor gasto é recebido de volta). Prática recente, esses apps ainda não caíram no gosto popular de acordo com os dados.

A pandemia de Covid-19, cujo aumento de casos têm sido relatado recentemente devido ao afrouxamento do isolamento, é um fator relevante para o e-commerce. No Twitter 40 por cento da audiência declarou que nos últimos três meses a frequência das compras online aumentou. Um em cada três entrevistados relataram já terem comprado em lojas virtuais nas Black Fridays passadas. As roupas e os acessórios, especialmente calçados, são os produtos de mais interesse detectados pela plataforma.

Edmundo Lima, diretor executivo da Abvtex - Associação Brasileira do Varejo Têxtil - comenta que, apesar das dificuldades enfrentadas neste ano atípico, foi observado que itens de vestuário, calçados, acessórios e artigos têxteis para o lar estão na lista dos consumidores como itens necessários para o final de ano.“A expectativa mantém-se positiva para novembro e dezembro, em função da Black Friday e do Natal, que incentivam o consumo represado durante o auge da pandemia,”conclui o executivo em nota de divulgação.

Fotos: Hipster Mum, CardMapr/Unsplash