Cultura

Sesc Avenida Paulista traz oficinas de Moda com refugiados

by Marta De Divitiis
1 de out de 2019

Dias 5 e 6 de outubro noSesc - Serviço Social do Comércio - em sua unidade Avenida Paulista, em São Paulo o projeto "Alinhavos Possíveis: Moda e Direitos Humanos" terá continuidade (teve início em agosto com um desfile de moda e um curso e em setembro um debate e oficina.) Por meio desse projeto, agora em outubro foram convidados artesãos de vários países em situação de refúgio e imigração, que irão compartilhar em oficinas seus saberes e trabalhos.

O projeto apresenta uma série de atividades na área de moda e vestuário, com destaque para a relação entre a cultura de moda, a arte e a sensibilização para questões que discutem a dignidade humana e a justiça social. Foi desenvolvido pela área de programação do Sesc Avenida Paulista, tendo à frente Cibele Camachi. “Quando falamos de Moda e Direitos Humanos sempre nos vêm à mente as questões do trabalho análogo ao escravo e, por meio dessa iniciativa quisemos dar uma conotação mais positiva ao tema,” justifica Cibele para o FashionUnited.

A moda é compreendida por esses refugiados como meio de expressão de suas culturas nativas. Acaba se tornando também uma forma de resistência e autoafirmação perante o mundo, sempre pelo viés criativo e dinâmico com que se inserem no cotidiano na cidade de São Paulo, de acordo com o release de divulgação.

Durante o evento haverá atividades, todas gratuitas, que incluem “Costura e Moda Árabe”; "Colares e Bonecas Africanas”; “Turbantes Africanos”; "Pintura e Design de Tecidos Africanos"; “Personal Stylist Árabe”; “Tatoo de Henna Mehndi”e “Bordado Boliviano Cholita”entre outras.

A seleção de artistas e artesãos foi realizada pelo Deslocamento Criativo, uma plataforma social concebida para mapear, dar visibilidade e auxiliar a sustentabilidade de refugiados e migrantes recentes que atuam na área de Economia Criativa na cidade de São Paulo.

As atividades vão acontecer sempre a partir das 11h sendo que é necessário, 30 minutos antes, retirar ingressos, pois as vagas são limitadas. Para o mês de novembro está previsto a continuidade do projeto por meio de um curso com uma pesquisadora da USP - Universidade de São Paulo - sobre Moda e o sistema carcerário.

Fotos: Ana Luisa Ponciano e Pedro Villa